Ministério da Cultura Brasil
quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 RSS Cultura em Movimento Fale com o Ministério
« Voltar Imprimir

Audiovisualistas incentivam o movimento dos cineclubes

Ponto de Cultura promove discussões a partir da análise de obras cinematográficas

No início do século XX, quando o cinema ainda se afirmava como uma forma de expressão artística, surgiu o movimento dos cineclubes, espaços de discussão e interação do público com as obras cinematográficas. Em 1928, o Rio de Janeiro recebe seu primeiro cineclube, o ChaplinClub, e o cineclubismo conquista seus adeptos no Brasil.

A chegada da televisão e do videocassete e a mercantilização do cinema quase extinguiu os cineclubes no país. No entanto, o rápido avanço tecnológico facilitou o acesso ao conteúdo audiovisual e proporcionou uma oportunidade única aos cineclubes de se apropriarem dessas tecnologias.
Pensando nessa renovação, um grupo de cineclubistas se reuniu para retomar os debates em cinema e reacender o campo do audiovisual. Em abril de 2002, surgiu a Associação Centro Cineclubista de São Paulo (Cecisp), com o objetivo de democratizar a linguagem do cinema.

Em 2008, o Cecisp foi contemplado pelo Ministério da Cultura por meio de edital e se tornou o Ponto Audiovisualistas, um dos primeiros Pontos de Cultura a trabalhar essa linguagem do estado de São Paulo. Eduardo Paes Aguiar, coordenador do Ponto, explica como é o trabalho do Audiovisualistas. “Sempre promovemos discussões de filmes, chamamos diretores novos para comentar a linguagem que usaram, e cada cineclube trabalha conforme sua temática. O Cinemulher, por exemplo, discute filmes nacionais e internacionais – não necessariamente sobre mulher – a partir da ótica feminina. O Baixa Augusta promove toda segunda-feira exibição de filmes para discutir a formação do país, os elementos que o compõem.”

Os cineclubes, apesar do termo “clube” remeter a algo fechado, elitista, são espaços sem fins lucrativos que levam a participação democrática das pessoas nas discussões sobre cinema. Grandes cineastas, como Glauber Rocha e Jean-Luc Godard foram cineclubistas, dada a importância do movimento na produção das obras cinematográficas. O Ponto Audiovisualistas realiza oficinas de produção de filmes, com um diferencial. “O viés do nosso curso é o fazer coletivo, se 20 pessoas participam, todas dividem a produção e realizam o filme coletivamente”, explica Eduardo.

Para atender ao objetivo do Cecisp, a associação vem organizando fóruns e discussões de audiovisual em regiões com poucas opções de lazer e cultura. Um dos exemplos desse trabalho é o Circuito Popular de Cinema, realizado no ano passado no Cineclube Grajaú. “O nosso público é um público a ser qualificado. Queremos levar um filme que proporcione lazer e seja atraente, mas também queremos fazer uma discussão em cima dele”, afirma o presidente da associação Diogo Gomes.

O Ponto Audiovisualistas também foi contemplado pelo Cine Mais Cultura, parte do Programa Mais Cultura coordenada em conjunto entre a Secretaria da Articulação Institucional (SAI/MinC) a Secretaria do Audiovisual (Sav/MinC). A ação do Mais Cultura dispõe equipamento audiovisual de projeção digital, obras brasileiras do catálogo da Programadora Brasil e oficina de capacitação cineclubista. O objetivo do Cine Mais Cultura articula com o movimento dos cineclubes, de atender a demanda por discussões críticas a partir das obras cinematográficas, em especial nas periferias das grandes cidades e pequenos municípios, de acordo com os indicadores utilizados no Programa Território da Cidadania.

O Cecisp tem participação ativa na rede de Pontos de Cultura ao realizar projetos associando o audiovisual a outras temáticas. “O nosso espaço serve de base para os outros Pontos. Aqui é um local de reunião, fazemos as oficinas para atender as pessoas que querem começar um cineclube no seu bairro e também organizamos exibições de filmes em outros lugares”, diz Diogo Gomes. “Nós somos um cineclube que reúne outros. Nosso Ponto age como um guarda-chuva para os demais cineclubes.”

Os cineclubes voltam a ser lugares privilegiados de fomento do pensamento crítico com base nas discussões de filmes, pela ampliação do interesse ao audiovisual e do fortalecimento das identidades regionais. O Ponto Audiovisualistas leva o cinema à população, estimula a compreensão da história do audiovisual e a partir disso proporciona às pessoas a reflexão sobre o exercício da cidadania.

Conheça o blog do Centro Cineclubista de São Paulo.

Texto: Jaqueline Ogliari – RRSP/MinC
Foto: Centro Cineclubista de São Paulo

Compartilhe:
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • TwitThis
  • email
  • LinkedIn

Participação do Leitor

max. 1000 caracteres



1 comentário